domingo, 19 de abril de 2009

BIRTH (2004)



Captain Blood volta das trevas com talvez o mais subestimado filme de 2004: “Birth” (Reencarnação).
Trabalho do diretor inglês Johnathan Glazer, que também dirigiu o célebre “Sexy Beast”.
Esse suspense passou batido pelo público em geral , lucrou somente três milhões de dolares em cima de um orçamento de vinte milhões (o que do ponto de vista holywoodiano é uma mixaria) e por algum motivo , deixa a maioria dos espectadores com aquela inexplicável sensação de insatisfação. Alguns dizem que o filme constrói situações e não se dá ao trabalho de resolvê-las, outros dizem que o personagem oculto é meramente um artifício de roteiro e que não tem vida própria.

Me desculpem todos os críticos desse filme mas eu tenho que discordar.

Tendo como roteirista Jean-Claude Carrière , que muitos estudantes de cinema devem conhecer pelo livro “Linguagem Secreta do Cinema” e que não dá ponto sem nó, Birth é mais uma daqueles filmes que não se pode julgar logo após o fim do filme. A estória é baseada na relação da personagem de Nicole Kidman com um personagem morto, e o roteiro e a direção trabalham isso tão brilhantemente, através de um garoto que a presença desse personagem é mais forte do que a da personagem principal. Meio difícil de entender isso sem ver o filme, é claro, porém, quem já assistiu “Rebecca” do Hitchcock sabe o que eu estou falando.


Sem falar na música absurdamente boa de Alexandre Desplat , meu mais recente ídolo, que compôs a magnífica trilha sonora de “O curioso Caso de Benjamim Button” e deveria ter ganhado o Oscar 2009 por melhor trilha sonora sem sombra de dúvidas.

O que muitos consideram como elementos mal explicados na trama na verdade funcionam como artifícios para a criação de uma situação incrivelmente intrigante e que não necessita de respostas óbvias nem explicações paranormais.
“Bith” para mim é uma daqueles filmes que não vieram para resolver nem explicar nada, é preciso ser maduro o suficiente para aceitar a dúvida que ele gera como um fato, e não como um mote a ser concluído.

Tendo talvez a melhor atuação de Nicole Kidman, “Birth” tomou várias posições na minha longa lista de filmes favoritos e eu recomendo a pessoas que saibam apreciar um trabalho não convencional.


LINK P/ TORRENT

2 comentários:

Peter Morris disse...

Hi

Could you seed John's Not Mad? Only 91.9% is available.

Thanks

Captain Blood disse...

Sure Peter,
I've just switched to Mac oS and haven't had time to figure out how to use everything.
It's all new waters for this old time Windows sailor...

But "John's Not Mad" will be up and running pretty soon!

Thanks for commenting!